terça-feira, abril 21, 2009

How does it taste like?


Amor. Desejo. Devoção extrema. Dedicação absoluta. Veneração. Culto. Adoração. Atração física. Afeição. Amizade. Carinho. Simpatia. Ternura.

Amor. Frio na barriga que espreme as vísceras, seca a boca, faz o ar faltar. Adrenalina. Seja por uma surpresa que provoca o gozo, seja pelo susto medonho que traz à tona os pesadelos.

Amor. Pele. Pêlos. Peitos. Fluidos. Coxas. Fricção. Esforço intenso que caminha pra uma explosão. Suor. Transpiração. Pêlos eriçados. Pupilas dilatadas. Respiração ofegante. Gemidos.

Dor. Desespero. Desencontro desconcertante, desencadeador de discórdias e desídias, definitivamente dilacerador.

Dor. Dacnomania. Dente cravado na carne. Prazer dionisíaco.

Lascivo. Concupiscente. Hedônico. Bacanal.

Posse. Amor monopolizado. Individualizado.

Monogamia! Meu, meu! Teu, teu!

Nosso...?! Egoísta!

Amar. Amar como? Amar a quem? Amar o quê?

Objeto depósito do meu inconsciente.

Desejos sórdidos.

Meus!

Mãos dadas. Amor sadio.

Mãos acorrentadas. Amor doente.

Mãos esporadicamente trocadas. Amor moderninho.

Mãos pra sempre atadas. Amor.

Amar a ti. Amar teu corpo, teu cheiro, tua saliva, tua pele, teus fluidos.

Amor doença. Tu, remédio do meu oco afetivo.

Amar teu sorriso, amar teu abraço, amar teu olhar, amar tua conversa.

Amor que cura. Tu, amigo que desejo.

Sem niilismo. Sem hipocrisia.

Subjetividades que se fundem quando se ensaia o ato que perpetua a espécie.

Amor narcísico.

Me amo tanto que me comeria pelo mero prazer de sentir meu próprio gosto.

Me desejo tanto que prefiro a solidão para poder contemplar unicamente o meu próprio reflexo.

Cálido amor. Apaixonante.

Eu, eu mesmo. Eu, tu. Nós.

Poligamia!

Paixão. Projeção. Imagem. Criação. Ludismo. Epicurismo.

Paixão que passa. Irracionalidade mutilada. Irracionalidade que mutila.

Coerência. Consciência.

Virtudes remanescentes.

Amor que fica.

Incondicional.