sexta-feira, novembro 05, 2010

Arriba Gimnásia!

fotos: Andressa Gonçalves e Filipe Faraon


A vegetação inspiradora de Buenos Aires

Ároves com copas que parecem ter sido projetadas por um designer. De repente até foram, ninguém sabe. Que belas! Por onde andamos em Buenos Aires vimos espetáculos de cores e formas de uma vegetação que só parece crescer em terras que vivem as quatro estações do ano. Em outubro, Buenos Aires está na primavera. O colorido das flores e o degradê de verde impressiona. A cidade é enorme. Os ônibus andam quilômetros e quilômetros e nunca parecemos sair do centro de Buenos. Em todo lugar tem uma linda praça. Muitos metros quadrados de uma paisagem linda que ficou ainda mais primorosa com os dias de sol que vivemos enquanto estivemos lá.

Monumental de Nuñez

No bairro de Belgrano, as árvores e arbustos se enfeitam do mesmo jeito. É lá que fica o estádio do River Plate, o Monumental de Nuñez. Assistimos o time da casa e o Gimnásia, da cidade de La Plata. Um show da demonstração da paixão dos argentinos por futebol, um sentimento diferente do fanatismo. Ao contrário dos brasileiros, eles não ficam cantando gritos de guerra. Cantam música, mesmo. Assistimos ao jogo da torcida dos visitantes azulinos. Um pequeno pedaço da arquibancada do Monumental que estava tomado pelos rubros do River Plate. Mesmo em menor número, a torcida do Gimnásia cantou o tempo inteiro. Músicas com bonitas melodias. O hino do time foi composto como o melhor dos jingles que gruda na cabeça e você fica cantarolando por horas. Ainda hoje, vez ou outra, aquela música tocada com uma banda de tambores e metais passa pela minha cabeça como se eu ainda estivesse lá. Uma batida simples que faz o quadril rebolar. Quando a gente vê, está dançando e torcendo junto com eles.


Gimnásia!

O jogo terminou no zero a zero. Mas foi lindo ver a emoção futebolística dos argentinos, as crianças de colo que foram ao estádio, as lindas mulheres com cabelos ou castanho escuros ou loro descolorido e os argentinos, claro. Belos niños que encantam nossos olhos e corações. O mais gostoso de tudo é poder ver e sentir tudo isso em poucos graus, mesmo de baixo de um sol resplandecente de sete da noite. O jogo terminou um pouco depois disso e ainda estava claro. Uma iluminação de resto de pôr do sol. A torcida do time visitante saiu primeiro, pelo lado oposto da saída da torcida do River. Lá de baixo, os torcedores azulinos caçoavam dos rubros que chegaram a jogar uma caixa de papelão de cima do estádio, mas que não atingiu ninguém, embora tenha caído próximo ao local onde eu estava. Todos se dirigiram ao lugar onde haviam estacionado o carro naquele bairro nobre. As ruas no entorno do estádio foram interditadas e vários policiais garantiram a segurança dos torcedores, um público formado por muitas famílias.

Pegamos as monedas, pagamos o ônibus e nos dirigimos ao Puerto Madero, um porto desativado onde funcionam vários restaurantes, um ao lado do outro, de frente para o rio e para os lindos prédios localizados do outro lado da margem. Foi inspirado nesse local que foi construída a Estação das Docas, ponto turístico de Belém do Pará. Lá é muito maior, os restaurantes são chiques. Os cardápios ficam postos em um suporte em frente ao estabelecimento para consulta do menu sortido e apetitoso, oferecido a preços salgados, mas que valem a pena se você puder pagar. Gastamos setenta pesos em dois sanduíches com papas fritas e dois refrigerantes.


Puerto Madero. Coma, ame e passeie


Comemos em um pub lindíssimo, com iluminação centralizada cujas mesas estavam decoradas com velas. Um recanto quentinho. Abrigo delicioso e confortável para mim, especialmente, que manifestava um princípio de gripe denunciado pelos meus espirros intermináveis. Senti muito frio nesse dia. A comida estava maravilhosa. Se você for a Buenos Aires, não deixe de jantar no Puerto Madero. Lugar lindo, gostoso e super romântico. Com a ajuda dos argentinos super prestativos, arrastando um portunhol, conseguimos chegar em "casa" seguros. Lindo hostel "Art Factory". Um albergue primoroso todo colorido com funcionários muito simpáticos e prestativos, gente de todo mundo e muita música brasileira. Até o próximo post!