quarta-feira, junho 22, 2011

A imbecilidade impera?

Um clip me fez desencadear toda uma reflexão sobre o por quê das produções televisivas nacionais e internacionais. As produções são como são porque o público gosta delas ou são os veículos comunicacionais que ensinam o público a gostar dessas produções? Os comunicólogos sabem que as duas justificativas são plausíveis, dependem apenas do ponto de vista.

Jurgen Habermas e os frankfurtianos entenderam que os meios de comunicação de massa formavam consumidores. Você consome a informação e passa a desenvolver uma vontade de comprar. A teoria parte da ideia de um público consumidor palerma que não questiona a formação que recebe.

Palerma. Chegamos no ponto que me interessa, o clip. O video mostra dois homens que se acham foda falando que dão show na balada e sabem que as mulheres estão afim deles. Eles dizem: "Garota, já dei meu show, sei que tu me queres, então podemos sair daqui, você pega no meu (pi), eu pego na sua (pi) porque eu sei que você está na minha". É mais ou menos isso.

O "pi" é um efeito eletrônico do hip hop que embala uma das músicas mais gala secas que já ouvi na vida. O machismo da letra nem é a questão porque, de fato, mulheres babacas que não se dão valor e se consideram apenas um pedaço de carne estão super presentas em tudo quando é lugar.

A questão é: o mundo também está cheio de babacas como esses dois desse grupo de hip hop que nunca tinha ouvido na vida. São norte-americanos. O clip é uma super produção, daí eu penso: os Estados Unidos estão exportando conteúdo lastimável e o Multishow faz o favor de traduzir em legendas a letra babaca enquanto veicula o clip.

Detalhe, o clip se resume aos caras andando, cantando a música e destruindo tudo o que veem pela frente. A destruição dos objetos dialoga com surubas que acontecem em vários cômodos de uma casa bagunçada. Muito construtivo. O clip passa a pior das mensagens.

O que passou pela cabeça do letrista e da produtora dessa banda ao entender que isso valia a pena ser divulgado? Dinheiro é a única explicação plausível pra mim. Eles apostaram porque sabiam que a música poderia estourar.

No processo resumido de comunicação (emissor - mensagem - receptor), só posso concluir que os dois polos desse processo, emissor e receptor, são babacas. É só uma música? Pra quem enxerga apenas a um palmo dos olhos ou não fala inglês, sim. Mas a situação é delicada.