sábado, agosto 13, 2011

Nova Guerra Fria?

Em uma sociedade capitalista, quando os direitos entram em conflito, a tendência é que os direitos que protegem o material, o concreto, o tangível, o que valha dinheiro prevaleça e reine em sua plenitude. Explico. O direito estuda interferências de condutas intersubjetivas. Isso quer dizer que a partir do momento em que condutas de duas ou mais pessoas entram em atrito e provocam um conflito, o Direito entra em cena pra resolver o problema. Acontece que nem sempre resolve da melhor maneira, ou de forma justa.

Quando falamos sobre o boom da internet, mídias sociais e plataformas de publicação de conteúdo virtual, entram em conflito dois direitos importantíssimos pro homem moderno: liberdade de expressão e direito de propriedade.

Alguns líderes de Estado entendem que propriedade intelectual é direito de país desenvolvido. Por isso algumas nações europeias regulamentam o uso da internet e o acesso à informação digital. O Brasil com seu culto eterno à liberdade reforça o download gratuito, a celebração do Torrent, do 4Shared.

O acesso fácil e sem ônus à produção intelectual me provoca um questionamento: o download viola o direito autoral, portanto a propriedade imaterial. Por outro lado, dependendo do conteúdo virtual consumido, ele pode contribuir para a edução do consumidor dessa informação. Nesse caso, não seria compensatório a restrição e a violação do direito de propriedade?

Consequência da democratização da informação é o que presenciamos hoje na internet, uma mobilização social com cidadãos que acompanham mais de perto o que acontece na sociedade. Políticos (leia-se pessoa que participa da polis, no sentido do cidadão grego) que estão em todas as mídias sociais. Cidadãos que cuidam da sociedade enquanto coletividade, presando pelo bem comum, mesmo objetivo pelo qual presa o direito (ao menos teoricamente).

A internet estimula a pró-atividade dos cidadãos modernos. A democracia cada vez mais se reforça porque o cidadão tem mais voz, visibilidade e PODER. O que assusta grupos sociais acostumados a controlar a informação, a cultura, a opinião pública. A sociedade está acordada e questiona o status quo capitalista.

Hoje, não necessariamente dita as normas quem tem mais dinheiro. Aliás, como entendem alguns teóricos, a tendência é a consolidação do socialismo da informação. Compartilhar tem sido a ordem. Vejo a liberdade dando um mata leão na propriedade privada e por um bom motivo. Seria a nova Guerra Fria?

Quer pensar sobre a liberdade? deguste: http://vimeo.com/24172300



domingo, agosto 07, 2011

Égua mermão tu é doido!


Inspirada no final de semana e nos homens que embelezam ainda mais a vida em São Paulo, decidi finalmente escrever o post sobre os dez bofes TUDÃO da minha lista. Tá mais do que manjado que braços tatuados, costas largas, bundas redondinhas e pinto grande estão entre os assuntos preferidos das mulheres, pelo menos entre as mulheres que frequentam a minha mesa de bar. Sim, é verdade.

No meu grupo de amigas nunca aconteceram brigas por causa de hombres fuertes. Nada de cordialidade. Simplesmente respeitamos a regra de que quem viu primeiro a presa pode caçar à vontade. Não tem olho furado. Mas quando o bofe é tudão, chama atenção de todo mundo mermo, aí, só no palitinho.

Os homens podem se questionar, mas sim, o que é um bofe tudão? Melhor do que explicar, vejamos a minha lista e comecemos por homens experientes: Domingos Montagner e (claro!) Ravier Bardem.


Capitão Herculano, meu pai amado! Na pele de um cangaceiro, Domingos Montagner veio só pra colocar fogo de baixo das saias femininas. Alguns homens lucram com o passar do tempo e esse é um deles. Pode puxar o terçado e me levar pro acampamento que eu me rendo, seu TUDO! O jeito de cabra macho que não se ajoelha, de homem que pega a mulher pelos cabelos, que maltrata sem fazer sentir dor. Ai ai ai!

Mesma postura de homem maduro que sabe o que quer de Javier Bardem. Me leva pra Olviedo, leva!


O que é esse homem? Um dos artifícios mais poderosos em um homem é olhar. O dele já parece pedir pra mulher tirar a roupa. Sim, é verdade. As costas largas, a voz grave, o jeito de hombre fuerte é irresistível. Não tem como não suspirar. E o que é ele em "Vicky Cristina Barcelona"? Pois é.


E por falar em olhar, olhos pequenos são o poder! Mas não são só os olhos dele que tiram o fôlego. Aliás, o que de ti não tira o fôlego, Johnny Depp? E pensar que no Piratas do Caribe tinha um barco cheio de Jack Sparrow. Um sonho! Desculpa o emputecimento pela minha emoção ao ver essa cena, ex-namorado. Não deu pra repreender.

Os meigos também têm lugar na lista. Ah se eu te pego, Rafael Cortez! E vocês sabem que isso é muito possível. O sujeito adora beijar entrevistadas. Não queres vir me entrevistar em Perdizes?

A beleza e o charme do Cortez são simples. Traços que ficam ainda mais lindos com o bom humor que ele tem. Acho-o engraçadíssimo, além de ser inteligente e tocar violão (instrumentos musicais aumentam o poder de atração do homem. Pesquisei). É válido ressaltar que o sujeito que me faz rir já me conquistou pela metade. Fica a dica.

A mesma beleza singela também fez Jayme Matarazzo conquistar meu coração. É muita beleza, égua mermão tu é doido! Na pele do príncipe Felipe em Cordel Encantado ele está ainda mais matador. Aliás, homem tudão é o que não falta nesse elenco que me faz uma mulher feliz diariamente com Cauã Raymond e Miguel Rômulo.

Jayme Matarazzo

Cauã Reymond (não precisa falar nada, né?)


Um moreno alto, bonito e sensual. Já vi ao vivo. Miguel Rômulo é um tipo atraentíssimo. Não é galã, tem cara de desenho e é competente por demais. Um dos melhores atores brasileiros da atualidade e alto, minha gente. Alto! Me desculpem os pequenos, mas altura é babado! Eis o box de homem lindo que me traz felicidade.

Pra fechar minha lista, mulheres, calma porque a emoção vai ser forte.


Podem os homens chiarem como for, mas Wagner Moura é tudo! Não é porque ele é Wagner Moura. Quando o vi pela primeira vez em Sexo Frágil, com rastafári, nem sabia de quem se tratava, só pensei uma coisa: pegava fácil! Depois da entrevista pra Rolling Stone esse ano, na qual foi publicada esse ensaio, me apaixonei mais ainda. Sem comentários.


Ai ai ai... O nome dele já é uma delicinha. Dudu Azevedo. Pouca gente conhece, ainda é um ator em crescimento, mas quem se importa com atuação se ele tem um corpo maravilhoso? Quer ver melhor? Assiste "Muita calma nessa hora", mana! E esse rosto de menino, hein? hein? hein? Moreno alto, bonito e sensual, tu és a solução de qualquer problema!

Pra encerrar. Ashton Kutcher. Não tenho o que dizer. Aproveita a vista. Sem mais.


quinta-feira, agosto 04, 2011

burburinho

A luz de cor quente do quarto não poderia ser mais convidativa. Entrei sem esperar o convite. A imagem refletida massageou minha vista que agradeceu a bênção de uma composição tão agradável. A luz contornou tetas lindas que apontavam pro céu e iluminou as partes que interessam de umas coxas e bunda cobertas por uma meia arrastão. Pés ainda descalços que aguardavam ser agasalhados em um salto vermelho. Os olhos dela me convidaram a ficar à vontade. Experimentei o colchão macio, a manta quente e a pele com cheiro de hidratante.

segunda-feira, agosto 01, 2011

em casa

a geladeira

Pode ser a menor casa que for. Quando habitada por uma pessoa apenas, fica enorme. Uma imensidão que a gente faz de um tudo pra preencher. A saudade da casa cheia de gente impera. Impera a saudade da muvuca na cozinha, da mesa de oito lugares.

Não há gritos de crianças pintando o sete, nem de vozes masculinas comemorando um gol, nem bebê chorando, nem o som da discovery kids. O que restam são outros prazeres, prazeres menores, como o cheiro do refogado, do alho e do azeite que enchem o coração de felicidade. E que bom que enche! O cheiro da roupa limpa que a gente mesmo lavou. O cheiro da casa limpa que a gente mesmo limpou.

Da muvuca da casa cheia restam um prato, um talher, um copo, um jogo americano. Panos de prato que são a nossa cara, lençóis que são a nossa cara, o canto pra chamar de nosso. Resta o despertador como o amigo mais presente, o homem do gás como o provedor da boa notícia e o carteiro que traz a felicidade da revista nova.

Até que descubramos outros prazeres aos poucos, nos sustentam esses de imediato, quebrando um galho quando a saudade invade a casa e chega até o peito.