terça-feira, outubro 25, 2011

Um ombro e fugir do mundo

Foto: Daniel Moraes



Procurar um ombro pra fugir do mundo...

Se estivesse despida de normas de conduta, me restaria apenas a certeza da satisfação dos meus
desejos e a permanência suprema do meu instinto de permanecer viva. Mataria, se preciso. Beijaria e ensaiaria o ritual de perpetuação da espécie com quem quer que me provocasse a libido. Me renderia à plenitude do estado natural humano.

Viveria em função de minhas pulsões. Bicho.

Procurar um ombro pra fugir do mundo.

Quando o tempo fecha e some o chão, desamparada fico sem nem ao menos saber pra onde correr. Isso se chama estar perdido. Pode o mundo explodir, pouca diferença faz se o solo que se pisa é norte ou sudeste. Na alma, pinta a sensação de ficar sem roupa no meio da multidão.

Encontrar o ombro e fugir do mundo.

Se teu colo é o pé de calmaria de onde brota o meu conforto, poderíamos estar até sob uma tempestade. Não me preocuparia nem o pior dos males. É nessa hora que mesmo fios de cabelo são fortes o suficiente pra tecer meu escudo, a linha tênue que separa a tormenta e a minha paz.

Nessas horas o amor é tudo o que me basta.