segunda-feira, junho 11, 2012

noves fora

Passando a língua nos beiços, recolhendo o resto de conhaque, ela sentia o prazer do vento frio. Escolheu sair de casa com os pés desnudos para apreciar o gelado já que o quente ela conhece muito bem. Noite de domingo, ela atravessa a avenida atraída por uma movimentação que ocorria do lado oposto da rua. Dois rapazes magros, de longos cabelos ondulados, lembravam os sucessos de Michael Jackson reproduzindo fielmente suas coreografias. Como toda noite de domingo em frente àquele shopping, a plateia apreciava atenciosa.

Recolhida próximo a um dos cinzeiros semelhantes a pequenos postes, ela desfrutou de um cigarro. Soprando sensualmente cada baforada de fumaça, como se tocasse com os lábios algo mais atraente do que aquela pequena dose de poluição. Sentiu um "barato". "Que drink de chocolate mais foda." Pensou sentindo o doce do conhaque na língua, delicioso rastro com vestígio de canela. "Acertei, acertei de novo." Confirmava satisfeita a opção certa de ter escolhido diferente, embora muitos tivessem previsto doses cavalares de sofrimento naquela nova estrada.

"'Cause this is thriller...Thriller night..." Batendo as cinzas do cigarro, sentiu um fiapo. "Merda." Lembrou que não fez as unhas. "Toda mulher independente faz as unhas sozinhas, em casa. De quebra, economiza mais de mil reais por ano. Uma troca honesta de esmaltes por passagens aéreas."

Nomadismo. Decidiu não criar raízes, acumular milhas e conhecer pessoas. As conheceu. Encontrou uns achados e anda colecionando histórias cujos detalhes são atenciosamente compartilhados com quem interessa. Passou a ser mais criteriosa na escolha daqueles que compõem sua teia de relações. Todos os babacas foram banidos, claro. Em substituição a eles, uma preferência por mentes pensantes e sofisticação. Pessoas mais velhas e amadurecidas.Também descobriu o charme do batom rosa cor de boca.