sexta-feira, julho 20, 2012

Para as mitocôndrias que fazem antropofagia, um Viva!

Sou extremamente fascinada por pessoas cujas mitocôndrias fazem antropofagia [identifico assim pessoas criativas, singulares, com personalidade, divertidíssimas, engraçadas...]. Gente autêntica! A gente sente o cheiro delas de longe e (pode apostar!) a probabilidade de tu teres com elas uma conversa sensacional é de 90% [destaco aqui que considero a conversa o principal ingrediente do combustível que nos dá energia pra viver].

Assim são meus amigos.

São pessoas que qualifico como as mais sensacionais desse planeta. Nos últimos 27 anos andei colecionando figuras do tipo. Encontrei os achados nos colégios, nas brincadeiras de rua [e de prédio também], nas cidades por onde passei, nos vários endereços onde morei, em viagens, em hostels e até em fila de banheiro. A eles atribuí o selo de amigos.

Esses seres humanos sensacionais, estando distantes ou na tua ilharga, te estenderão uma mão ou o ouvido quando precisares e ficarão felizes quando denunciares alegria. Alguns amigos são mais próximos, com outros tu falas bem esporadicamente, o indício de que entre a gente existe uma amizade é o reencontro que denuncia o afeto recíproco, a alegria de se ver novamente e a sensação de que parece não ter passado tempo nenhum desde a última vez que nos vimos.

Todos essas pessoas somaram em mim algo de bom, sempre a partir de uma conversa, uma gargalhada dividia, um abraço honesto, um compartilhar de boas ideias.

Sou a favor de evidenciar afetos e sentimentos.
Eu me declaro mesmo.

E como a antropologia diz que somos o que lemos, as escolas que frequentamos, as informações que consumimos, a família e amigos que temos... Pessoas, também sou um pedaço de vocês.

Acho vocês o máximo!