quinta-feira, abril 25, 2013

Sobre a sorte do amanhã

Nessa vida só duas coisas me causam extremo medo: do que não conheço e de uma má consequência. Na vida a gente aposta. Todo tempo. Planejar é apostar que no futuro estaremos vivos.

Já conheci gente que se escora nessa aposta de estar vivo amanhã para passar pelo hoje bem distraído. A ideia é não dar muito papo pro presente e assim evitar exitosamente dores e incômodos. Elas se ocupam em imaginar momentos felizes que virão. Mentira! Não virão porque basta se tornarem presentes para não soarem tão empolgantes assim.

No futuro esses momentos soam alegres e convidativos por fazerem parte de um contexto ideal. E o ideal só existe na esfera das ideias. Por isso tudo funciona. Por isso tudo é tão belo e atraente.

Acho arriscado depositar o prazer, a alegria, o bem estar no futuro. Mas muita gente se acostumou a postergar o sossego, a paz de espírito, a felicidade. Especulo que o fazem porque realmente não têm ideia de como lidar com a própria vida pra sentirem-se bem. Por isso procrastinam a felicidade (que não se trata de euforia e paixão, veja bem. É algo que tende à serenidade). Precisam de uma perspectiva de prazer. Como não são capazes de proverem os próprios prazeres de suas vidas porque não sabem resolver e lidar com os desprazeres, colocam a felicidade na mão do destino, do futuro. Vivem com o olhar pro amanhã. Depositam a esperança em um futuro que não se tornará presente.

Lamento.

Mesmo diante do medo do desconhecido ou de má consequência, aprendi que importante é tirar do presente tudo o que ele pode te dar de bom. E mesmo que dê coisas ruins, encontrar nessas situações oportunidade de melhoria, como a chance de se tornar alguém um tico melhor.

Mesmo com medo de más consequências, o importante é decidir consciente, acreditando que toma a decisão correta. Se ao longo do passar do tempo você perceber que se ferrou, paciência. Na época não foi possível prever esse risco, embora se tenha assumido a sua possibilidade dele ocorrer (tudo é possível, afinal).

Viver o presente tem suas vantagens, por exemplo, viver a vida.